Uma breve história das relações entre Brasil e Líbia

1 Comentário

Caros cinco leitores.

Ainda não sei o que é pior, em 1999 o Presidente Fernando Henrique Cardoso condecorar o seu “amigo” Alberto Fujimori, presidente do Peru, com Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, a mais importante comenda brasileira, e declarar apoio ao terceiro mandato para o presidente daquele país, ou o Lula chamar o Kadaffi de “amigo, meu irmão e líder”, na Cúpula da União Africana em 2009.

Mas de qualquer maneira, conforme prometido, faço um breve histórico das relações entre Brasil e Líbia, por ano e governo. Nada que não seja garimpado na internet, mas pela cronologia fica bem interessante perceber quem realmente gostou de se relacionar com aquele governo.

Então lá vai!

– Década de 70, a partir do Governo Geisel, até o final da década de 80: Estreitamento das relações entre os dois países, com foco ao comércio de armamentos, contratos de petróleo e empreiteiras.

– 1992: O Presidente Collor, adere às sanções da ONU contra a Líbia, motivadas pelo atentado ao avião da Pan Am na Escócia.

– 1999: O Presidente Fernando Henrique Cardoso suspende as sanções à Libia, com foco no estreitamento das relações comerciais.

– 2000: O Presidente Fernando Henrique Cardoso, recebe a delegação líbia, chefiada pelo Enviado Especial de Kadaffi, General Mustapha Kharoubi, para oficializar a retomada das relações políticas e comerciais. Destaca-se o retorno da Braspetro e empreiteiras brasileiras naquele país.

– 2001: O Presidente Fernando Henrique Cardoso firma com o governo líbio, através de Ney Suassuna, a criação de um consórico de empreiteiras brasileiras para obras habitacionais em Trípoli.

– 2001: O Governo de Fernando Henrique Cardoso recebe a missão comercial da Líbia e firma parceirias na área de exploração petrolífera, importações, comércio de carne,madereira e transgênicos.

– 2001:  O Governo de Fernando Henrique Cardoso envia missão diplomática para a Líbia com foco nos incrementos “mais audaciosos” nas relações Brasil-Líbia.

– 2002: O Governo de Fernando Henrique Cardoso recebe a visita do Ministro da Economia Libio, chefiando uma missão econômica e comercial. Na comitiva líbia estavam presentes o Governador do Estado de Trípoli, o chefe da Autoridade Nacional da Área Industrial, o Diretor do Departamento de Cooperação Internacional do Ministério das Relações Exteriores, e o Diretor do Departamento de Marketing da Companhia Nacional de Petróleo, Mohamed Al Abani, entre outros.

– 2003: O Presidente Lula visita a Líbia e é recebido por Muammar Khadafi, com a finalidade de abrir um Encontro empresarial entre Brasil e Libia e continuar a série de viagens aos países africanos com a finalidade de estreitar laços culturais e comerciais. Deste encontro destacam-se: cooperação nos setores de agricultura, saúde animal, turismo, cultura, energia, habitação e serviços de infra-estrutura.

– 2005: Durante o Governo Lula a Petrobrás vence a concorrencia para exploração de petróleo nos mares da Líbia

– 2009: O Presidente Lula é o convidado de honra da Cúpula da União Africana em Sirte, na Líbia. Neste discurso Lula responsabilizou os países industrializados pela crise do sistema financeiro e pelo caráter perverso da ordem internacional e ressaltou que  consolidar a democracia é um processo evolutivo.

 

Anúncios

Reflexões sobre a “Militância Guerrilheira” da Dilma.

2 Comentários

Estava eu fazendo uma reflexão sobre a matéria da Época abordando o passado guerrilheiro da Dilmão…
Aí lembrei do meu falecido pai quando o Serra foi eleito Deputado Federal Constituinte. O velho ficou bravo pacas porque “esse tal de Serra, além de ser assaltante de banco junto com um tal de Aloisio Ferreira (?) também havia participado de um atentado no aeroporto de Recife”.

Mais uma vez as minhas reflexões acabaram por aqui.

Vou pesquisar esta história no Google…

Piada da Semana: 70% do leitores de veja.com querem Estado mais enxuto.

Deixe um comentário

Pois é, meus cinco leitores…

Depois de alfabetizado nunca deixei de ler a Revista Veja. Gostava das matérias científicas, das propagandas de carro,  e do estilo cuidadoso de falar sobre política nos anos findos do Regime Militar.

Infelizmente nos últimos dez anos…

Cancelamos a assinatura em 1998. Não me lembro exatamente o que aconteceu com a revista, mas a partir dos primeiros números daquele ano, as chamadas “reportagens investigativas” deixaram de lado o aprofundamento dos temas em detrimento de textos mais opinativos, quase subjetivos. Desde então, leio de empréstimo ou folheio as páginas nas salas de espera. Mas como na minha lida preciso ficar informado de “tudo” (sou o cara de uma cultura geral acima da média, lembram?),  visito sites de jornais e revistas diariamente. Um bom investimento de uma hora por dia, clicando nos links que me chamam a atenção.

Para o meu apurado senso  crítico, o fundo do poço em termos de qualidade editorial chegou em 2002/03, desde então o jornalismo da Veja, ficou por lá mesmo.

Nesta semana acompanhei no site da nossa campeã de vendagem uma enquete no mínimo “inteligível” sobre Gastos Públicos. Em especial porque 3 das 4 opções de respostas eram equivalentes.

Até aí, tudo bem, considerando que e o estilo editorial dela não me surpreende mais, acharia até engraçado se o objetivo dos conteúdos não fosse influenciar as opiniões dos desavisados. Gosto muito dos blogueiros de lá em especial do Reinaldo Azevedo (que para mim e outros colegas é uma espécie de Cabo Anselmo da  Veja a serviço do PT).

A coisa engraçada da tal enquete sobre os gastos públicos é a ênfase sobre os resultados que aparecem logo que o site carrega: “70% dos leitores de veja.com que participaram da enquete querem estado mais enxuto”  (às 19:30 do dia 31/07). Cadê a graça nisso? eu explico:

Quando li “estado” (com “e” minúsculo) imaginei um monte de coisas, em especial interpretei como algo do tipo “os leitores do site  querem que o estado dele (o site) fosse mais enxuto”. Antes de clicar o link da matéria cheguei a ficar indignado, “caramba, o site tá novinho em folha e bem mais fácil pra navegar…”.

Bloqueiro burro que sou… O estado da enquete seria o com “E” maiúsculo!  Aquele “Estado” que possui várias definições, mas para efeitos de trabalhos escolares está definido na Wikipédia.

Outra patetagem foram os tais “70% dos leitores da veja.com“. Como a enquete está no ar desde o dia 26/10, inferi ver umas 10 mil respostas. Pois bem, até agora há pouco tinham somente 827, e os tais 70% são na realidade 66,87% , equivalente a 553 escolhas naquela opção.

Somente por curiosidade, o site da Revista Época iniciou no mesmo período uma enquete sobre “candidatos alternativos à presidência” que teve 5.746 respostas de internautas.

Em resumo, devido a uma manchete mal escrita logo na parte inicial da página dá a entender que: 1) Em cinco dias a Veja.com só teve 553 acessos; 2) o autor não sabe que existe  diferença na grafia de “Estado” e “estado” (muito menos o revisor); e 3) só quem responde as enquetes são os funcionários do grupo, parentes e blogueiros.

Falando bem sério, gostaria de pedir aos Editores da Revista Veja que deixem de lado – só um pouquinho – a ânsia de querer “formar opinião” na marra e na subjetividade e se preocupem mais em serem “instrumentos de formação de consciência crítica”. O leitor, por menos instruído que seja, não precisa e não quer ninguém formando a opinião dele porque já está feita. O leitor de Veja – com certeza – é sujeito da própria formação.

Mas pode ser também que os Diretores da revista só tenham interesse em serem instrumentos de legitimação de algum grupo social, corrente política ou ideológica. Se for assim fiquem felizes com seus “553 leitores de Veja que responderam a enquete”.

Abração e boa semana.

Escolha o nome definitivo do programa do Grille

1 Comentário

Depois de milhares de emails dos meus 5 leitores (sendo um deles uma gata), seguem as sugestões de nomes:

  • Cozinhando Com o Grille
  • A Cozinha Maravilhosa do Grille
  • Grille, se eu cozinho eu como?
  • Na Chapa com o Tiozão do Churrasco.
  • Outro nome…

Estão abertas as votações.

O autor do título escolhido ganhará uma entrada para a Feira de São Cristóvão com direito a um acompanhante.

Será sorteado entre todos os eleitores uma caixa de Baré-Cola sabor abacaxi e outra de Guaraná Jesus.

Inauguração do Blog do Grille

Deixe um comentário

Grille – O Tiozão do Churrasco