Caros cinco leitores.

Ainda não sei o que é pior, em 1999 o Presidente Fernando Henrique Cardoso condecorar o seu “amigo” Alberto Fujimori, presidente do Peru, com Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, a mais importante comenda brasileira, e declarar apoio ao terceiro mandato para o presidente daquele país, ou o Lula chamar o Kadaffi de “amigo, meu irmão e líder”, na Cúpula da União Africana em 2009.

Mas de qualquer maneira, conforme prometido, faço um breve histórico das relações entre Brasil e Líbia, por ano e governo. Nada que não seja garimpado na internet, mas pela cronologia fica bem interessante perceber quem realmente gostou de se relacionar com aquele governo.

Então lá vai!

– Década de 70, a partir do Governo Geisel, até o final da década de 80: Estreitamento das relações entre os dois países, com foco ao comércio de armamentos, contratos de petróleo e empreiteiras.

– 1992: O Presidente Collor, adere às sanções da ONU contra a Líbia, motivadas pelo atentado ao avião da Pan Am na Escócia.

– 1999: O Presidente Fernando Henrique Cardoso suspende as sanções à Libia, com foco no estreitamento das relações comerciais.

– 2000: O Presidente Fernando Henrique Cardoso, recebe a delegação líbia, chefiada pelo Enviado Especial de Kadaffi, General Mustapha Kharoubi, para oficializar a retomada das relações políticas e comerciais. Destaca-se o retorno da Braspetro e empreiteiras brasileiras naquele país.

– 2001: O Presidente Fernando Henrique Cardoso firma com o governo líbio, através de Ney Suassuna, a criação de um consórico de empreiteiras brasileiras para obras habitacionais em Trípoli.

– 2001: O Governo de Fernando Henrique Cardoso recebe a missão comercial da Líbia e firma parceirias na área de exploração petrolífera, importações, comércio de carne,madereira e transgênicos.

– 2001:  O Governo de Fernando Henrique Cardoso envia missão diplomática para a Líbia com foco nos incrementos “mais audaciosos” nas relações Brasil-Líbia.

– 2002: O Governo de Fernando Henrique Cardoso recebe a visita do Ministro da Economia Libio, chefiando uma missão econômica e comercial. Na comitiva líbia estavam presentes o Governador do Estado de Trípoli, o chefe da Autoridade Nacional da Área Industrial, o Diretor do Departamento de Cooperação Internacional do Ministério das Relações Exteriores, e o Diretor do Departamento de Marketing da Companhia Nacional de Petróleo, Mohamed Al Abani, entre outros.

– 2003: O Presidente Lula visita a Líbia e é recebido por Muammar Khadafi, com a finalidade de abrir um Encontro empresarial entre Brasil e Libia e continuar a série de viagens aos países africanos com a finalidade de estreitar laços culturais e comerciais. Deste encontro destacam-se: cooperação nos setores de agricultura, saúde animal, turismo, cultura, energia, habitação e serviços de infra-estrutura.

– 2005: Durante o Governo Lula a Petrobrás vence a concorrencia para exploração de petróleo nos mares da Líbia

– 2009: O Presidente Lula é o convidado de honra da Cúpula da União Africana em Sirte, na Líbia. Neste discurso Lula responsabilizou os países industrializados pela crise do sistema financeiro e pelo caráter perverso da ordem internacional e ressaltou que  consolidar a democracia é um processo evolutivo.

 

Anúncios